• Bibiana Danna

O caminho da vida

Atualizado: 25 de out. de 2020

Por Cristiano Nunes de Castro

Achamos que sabemos viver, que para caminharmos basta viver. As frustações aparecerão, fazem parte do caminho. Só com o tempo aprendemos isto. Na vida não há caminhos definidos, sinalizações no chão indicando como caminhar. Somos livres, como barcos no oceano, para escolher aonde iremos. Se vamos içar vela e deixar o vento nos empurrar, ou pegar os remos e lutar bravamente contra a correnteza que insiste em nos empurrar para onde não queremos. Independentemente do caminho escolhido, sempre imaginamos um porto de chegada cheio de luz, de alegria, de felicidade inesgotável. Enquanto isto não chega, que façamos do caminho um lugar feliz, e isto acontecerá no nosso dia a dia e como decidirmos vivê-lo.

Mário Quintana, em seu poema, já nos ensinava:

Minha Vida

Mário Quintana

Minha vida não foi um romance… Nunca tive até hoje um segredo. Se me amar, não digas, que morro De surpresa… De encanto… De medo… Minha vida não foi um romance Minha vida passou por passar Se não amas, não finjas, que vivo Esperando um amor para amar. Minha vida não foi um romance… Pobre vida… Passou sem enredo… Glória a ti que me enches de vida De surpresa, de encanto, de medo! Minha vida não foi um romance… Ai de mim… Já se ia acabar! Pobre vida que toda depende De um sorriso… De um gesto… Um olhar…”

Olhe a Vida como uma criança, cheia de esperança e alegria! Sem medo de aprender, sem medo de viver!

Bem-vindos amigos:

Queridos é com este texto inspirador –  do meu amado esposo Cristiano –  e com as palavras maravilhosas do escritor Mário Quintana que os recebo com um abraço caloroso e apertado.

Estou muito feliz de o primeiro post ter sido redigido pelo meu companheiro de jornada. Ontem, no dia primeiro de julho, fizemos 24 anos juntos. O meu caminho da vida, desde muito cedo, foi compartilhado ao lado dessa pessoa única, especial e que admiro muito.

Ao lado dele, construí uma família maravilhosa, unida e feliz! Desta união nasceram os nossos tesouros imateriais Felipe e Lucas.

Compartilhamos momentos de alegria, dor, saudade e frustrações. São essas experiências que nos tornam, a cada dia que passa, pessoas mais equilibradas e conscientes de que o nosso caminho da vida apenas esta começando.

Convido a todos para partilharem conosco da nossa jornada. Afinal de contas, neste trajeto,  somos andarilhos e os passos que cada um de nós dá interfere no caminho do outro.

Apesar de termos uma estrada diferente, nossos caminhos sempre se encontram. Afinal de contas, todos somos um!

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo