• Bibiana Danna

Solitude: a sua melhor companhia é você

Atualizado: 25 de out. de 2020


Celebrate_yourself

Cada indivíduo é distinguido dos demais pelas particularidades que fazem parte dele, tornando-o único. O seu nome, filiação, profissão, estado civil, sexo e tantas outras características que lhe são próprias.

Ao longo da jornada, entramos em contato com outras pessoas e acreditamos que elas têm o poder de nos trazer felicidade, amor e bem-estar. Entregamos, de forma inconsciente, o nosso destino a alguém que não pode experimentar a vida por nós.

Este terceiro receberá as chaves do nosso coração e mente. Nele será depositada toda a esperança e ilusão de que, a partir dessa entrega, todos os sentimentos sombrios, negativos e opressores desaparecerão e não mais retornarão.

Devido à carência afetiva e emocional, sentimo-nos incompletos, inadequados, vazios e ansiosos. Temos a sensação de que as necessidades, anseios e realizações estão fora de nós. Neste momento, estamos acompanhados pela solidão e nos sentimos cada vez mais sozinhos, desamparados e isolados.

Um dos maiores gatilhos para o desencadeamento da solidão é a mudança no modelo antropológico de como nos relacionamos com o tempo. Ao contrário dos nossos ancestrais, dedicamos cada vez menos atenção a nós mesmos, família e amigos. A nossa agenda encontra-se abarrotada de compromissos profissionais e outros tantos que nos desviam do caminho da completude.

Entretanto, a solidão, apesar de estar bem presente nas pessoas, é uma sensação, uma impressão, um sentimento e não corresponde à realidade. Representa uma visão de separação, desunião e desintegração. Sempre ocorre quando deixamos de lado a melhor companhia que poderíamos ter: nós mesmos!

Quando escolhemos a solidão, abrimos mão de sermos íntimos da nossa alma e nos distanciamos de nós. Ela nos domina e, com isso, impede a real integração entre o corpo e a mente, ou seja, a solitude.

Por outro lado, se buscarmos um relacionamento profundo e verdadeiro com a nossa alma – nosso querer – entraremos em um estado existencial especial, profundo e libertador: a solitude.

Neste estado, escolhemos, livremente, pela nossa companhia e pelas grandes lições que essa experiência pode nos trazer. A solitude significa presença, plenitude, aceitação, acolhimento e amor. É uma atividade individual e personalíssima que exige recolhimento, introspecção, determinação e perseverança.

Você já marcou algum encontro com a solitude? O ideal é ter um contato diário com ela. Entretanto, se não for possível, busque encontrá-la sempre que puder. A sua saúde depende do perfeito equilíbrio entre o seu corpo, espírito e mente.

Queridos amigos:

          Bom dia! Um ótimo domingo junto da família e amigos! Aproveitem para ter um pouco de solitude… Domingo é um excelente dia para isso. Agradeço a participação de todos que sugeriram temas para os posts. Foi uma interação muito rica e despertou muitas reflexões em mim ao longo da semana que passou. Pretendo escrever sobre todos os temas sugeridos. Hoje, o assunto do post foi apresentado pela minha querida prima Danusa. Prima, obrigada pela sugestão. Para mim, foi uma experiência muito interessante e acredito que sem a sua ajuda… Eu não abordaria este tema tão especial. Quem quiser pode mandar sugestões acerca dos temas dos próximos posts. Abraços,

           Bibiana Danna.




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo